No extremo oposto da rua das Flores, do outro lado da que hoje é a Praça Almeida Garrett, foi fundado 1518 o Convento de São Bento de Ave Maria, no mesmo lugar onde hoje se ergue o imponente edifício da Estação de São Bento, um espaço que seduz pela beleza, pela história, por ser um ponto de partida e chegada, de encontros e expectativas.

A estação foi construída segundo um projecto do arquitecto Marques da Silva e inaugurada em 1916. No átrio principal exibe uma magnifica obra assinada pelo pintor Jorge Colaço: um conjunto de painéis compostos por 20 000 azulejos onde se representam cenas da história ou da vida da cidade ou do país, como por exemplo o fantástico painel de azulejos com a representação do casamento dos reis, João I e Filipa de Lencastre na Sé do Porto ou o rio Douro e os Barcos Rabelo.

No tecto do grande hall da estação, podemos ler as palavras “Douro” e “Minho”, as regiões apontam as direcções para onde podemos seguir no comboio que dali sai. O friso colorido de azulejos no topo, repesentam a evolução dos transportes ao longo dos tempos.

Na última fotografia é possível vermos o antigo Convento S. Bento de Ave Maria.

estação de S. Bento
estação de S. Bento
Convento S. Bento de Ave Maria
Comments are closed.