Porto é Património da Humanidade

O centro histórico da cidade do Porto e zona ribeirinha de Vila Nova de Gaia, são classificados pela UNESCO, desde 1996.

Como é que tudo começou?

A rede urbana da cidade do Porto foi alvo de uma grande expansão no século XIX, passando a incluir várias áreas periféricas rurais. Por outro lado, todavia, o centro histórico da cidade começou a deteriorar-se, afectando mesmo a qualidade de vida da população local.

Após algumas tentativas sem sucesso para resolver esta situação séria, vieram as mudanças políticas de Abril de 1974, que deram um novo impulso ao processo de revitalização das áreas da Sé e de S. Nicolau. O projecto passou, recentemente, a incluir duas outras freguesias -Vitória e Miragaia. 

O Município do Porto juntou-se a algumas instituições especializadas neste tipo de projecto, e juntos conceberam um vasto programa de reconstrução e de revitalização do centro histórico, que incluía, não só os aspectos urbanos e arquitecturais, como também os arqueológicos, sociais e culturais.

A re-classificação de áreas públicas e de estruturas de apoio à população local ganhou particular relevância, e teve mais de uma centena de unidades de equipamento e de projectos socioculturais.

A Câmara Municipal do Porto, ciente da importância destas iniciativas para a cidade e das vantagens de um apoio internacional para a consolidação deste processo, dirigiu uma candidatura formal à UNESCO para que classificasse o Centro Histórico do Porto como Património Mundial da Humanidade.

O processo iniciou-se em 1993, e teve um impulso decisivo em 1996, quando o Comité de Patrimónios Mundiais da UNESCO aprovou a candidatura da cidade do Porto. A candidatura foi organizada pelo CRUARB, juntamente com vários departamentos especializados da Câmara Municipal.

A decisão da UNESCO foi extremamente influenciada, pela qualidade dos trabalhos de renovação urbana e social, especialmente por aqueles dedicados ao apoio da população local, assim como pelas actividades culturais e desportivas que têm sido introduzidas com sucesso ao longo de toda a zona, classificada actualmente, como Património Mundial da Humanidade.

A área classificada inclui, a vila medieval situada dentro das muralhas românicas do século XIV (muralhas fernandinas e primitivas), que é composta pelos
edifícios mais antigos da cidade, assim como pelas ruas mais típicas e pelas áreas públicas mais atractivas. 

O desenvolvimento da cidade do Porto está intimamente ligado à margem esquerda do rio Douro, como tal a proposta
incluía a imponente Ponte Luís I, construída por Teófilo Seyrig, um discípulo de Gustavo Eiffel, e o proeminente edifício
do Convento de Santo Agostinho da Serra do Pilar.

A área protegida corresponde aos antigos limites da cidade medieval em ambas as margens do rio. Em Vila Nova de Gaia, a área protegida inclui a zona onde estão situadas as Caves do Vinho do Porto. Na margem norte, inclui a antiga vila de Miragaia, a faixa norte cuja renovação começou no século XVIII, a antiga área de Santo Ildefonso, as encostas dos Guindais e os terraços das Fontainhas que se estendem até ao rio Douro.

Comments are closed.